Grup Porno
Posted by José Luiz Jorge | março - 6 - 2019 | 0 Comment

Este artigo é baseado no trabalho de Erica Larson, editora de notícias, e bacharel em jornalismo com uma especialidade em ciência equina da Michigan State University em East Lansing. Uma nativa de Massachusetts, ela cresceu na sela e já se envolveu em uma variedade de disciplinas. O trabalho foi apresentado na Convenção AAEP 2018, comportamento, comportamento & manipulação, cuidados com o cavalo, lesões & claudicação, claudicação, Medicina do esporte, bem-estar e indústria

Indicadores comportamentais de dor em cavalos montados

Seu cavalo pode dar um salto adiante ou acima se um inseto morde, agitar sua cauda se você der um toque com chicote em seus quadris, ou mostrar o branco dos olhos dele, se ele ver um objeto muito assustador. Mas, um pesquisador informou recentemente que, se esses comportamentos se tornarem um hábito, especialmente sem provocação, seu cavalo está provavelmente tentando te dizer que ele está sofrendo.

Daí nos insistimos em que você aprenda a observar seu cavalo, em repouso e naturalmente bem, observando suas expressões faciais, como estão seus músculos, sua atitude geral para quando , depois do trabalho ou montado, você obervar indicações diferentes, isso é uma pista para investigar problemas, como dores.

Em uma série de estudos durante os últimos anos, Sue Dyson, MA, MB de veterinária, PhD, DEO, Dipl ECVSMR, FRCVS, chefe da clínica de Ortopedia de Saúde Animal em um centro para estudos de equinos, em Newmarket, Inglaterra e seus colegas desenvolveram e validadaram um etograma para cavalos montados— ou seja, criaram um catálogo de comportamentos que um cavalo pode exibir sob a sela e o que eles significam. Ela projetou o etograma para ajudar a identificar a baixa qualidade do andamento, a claudicação ou dor em cavalos montados.

Em seu mais recente estudo, Dyson comparou escores de dor e comportamento do cavalo antes e depois do diagnóstico e analgesia (bloqueios dados durante um exame de claudicação) para ver se indivíduos sem formação específica sobre o etograma poderiam usá-lo para reconhecer confiavelmente indicações de dor em cavalos trabalhando sob a sela. Ela compartilhou os resultados em 2018 na Convenção Americana da Associação de Praticantes de Equitação, realizada de 1 a 5 de dezembro em San Francisco, Califórnia.

“Proprietários e treinadores muitas vezes são desatentos em reconhecer a claudicação,” especialmente se é sutil, disse Sue Dyson. “Problemas de desempenho são muitas vezes rotulados como relacionados ao treinamento, comportamental ou ‘apenas é como ele sempre foi.’

“Cavalos estão tentando se comunicar conosco”, acrescentou. “Precisamos aprender a ouvir e ler o que eles nos contam”, é também o que repito aqui no Rancho como um mantra nos ouvidos dos proprietários, tratadores, treinador, Veterniário, Ferrador que nos atendem. É como uma regra de ouro aqui: Aprendam e Ler os Cavalos.

Sue Dyson disse que o etograma original do cavalo montado continha relacionados 117 comportamentos. No estudo atual ela e colegas focaram em 24 comportamentos, identificaram-se como mais estreitamente associados com dor (ver abaixo). Ela disse que a presença de oito ou mais destes marcadores provavelmente reflete a dor músculo-esquelética. Leia as indicações abaixo e confira no seu cavalo antes e depois de montar.

No estudo de Dyson tinha um avaliador treinado em como aplicar o etograma e 10 assessores destreinados (dois estagiários de veterinário, um médico Júnior, cinco técnicos de veterinária e duas enfermeiras veterinárias). Cada um dos assessores assistiu vídeos de 21 cavalos, montados trabalhando em trote e galope em ambas as direções por pilotos profissionais, antes e depois do diagnóstico e analgesia (total de 42 vídeos). Os vídeos foram apresentados em uma ordem aleatória, ela disse.

Eles tinham de aplicar de forma binária um SIM ou Não para cada comportamento e para a presença do comportamento,” acrescentou.
Os cavalos no estudo tinham vários diagnósticos de claudicação unilateral ou bilateral em frente e/ou os membros posteriores, ou com dor sacroilíaca.
Antes de os veterinários administrarem a analgesia diagnóstica, o avaliador treinado identificou de três a 12 (com uma média de 10) Indicadores comportamentais de dor em cavalos montados, Dyson disse.
“Os assessores destreinados também tiveram reduções significativas em indicações de comportamento para todos os cavalos após a resolução da dor,” ela disse.

Além disso, “a redução na pontuação do comportamento verifica uma provável relação causal entre dor e comportamento,” ela disse.
Dyson e seus colegas analisaram também o quanto os avaliladores estavam de acordo — quantas vezes viram independentemente as mesmas conclusões sobre Indicadores comportamentais de cavalo:
• Estavam de Acordo os avaliadores destreinados para cavalos coxos;
• O de Acordo entre o assessor treinado e os avaliadores destreinados para cavalos coxos foi moderado; e
• Após diagnóstico e analgesia, houve um ” de acordo” justo entre os avaliadores destreinados e ligeiramente sem acordo entre os avaliadores destreinados e o avaliador treinado.
Com base nesses resultados, Dyson concluiu que ambos avaliadores treinados e destreinados podem usar o etograma do cavalo montado para identificar a provável presença de dor músculo-esquelética. No entanto, médicos veterinários, proprietários, treinadores e outros que poderão usá-lo requerem educação sobre o uso do etograma para obter melhores resultados, ela disse.


Twitter updates

No public Twitter messages.

Sponsors

  • Mangalarga Marchador
  • Revista Horse
  • Selaria Dias
  • Equipe Fusion