Como você se percebe em cima do cavalo? : Rancho São Miguel

Grup Porno
Posted by José Luiz Jorge | janeiro - 2 - 2018 | 0 Comment

Neste texto curto volto ao tema da postura, do assento e do equilíbrio em cima do cavalo, independente de qual modalidade (western ou inglesa)
Um cavalo é tão equilibrado e disciplinado quanto o seu cavaleiro/amazona. Já repetimos muitas vezes que o cavalo é espelho de quem monta, trata, maneja, seja comportamentalmente, seja em movimento.
Quem já dedicou um tempo importante em cima da sela, aprende a prestar atenção ao seu corpo. Muitas vezes, reconhecemos algumas características quando montados, que precisamos corrigir. Se tiver apoio de um professor/treinador dedicado você já deve ter ouvido aquelas chamadas, sente-se mais alto, coloque os calcanhares para baixo, olhe para cima – abaixe as mãos, tome as rédeas corretamente, coloque a perna no cavalo, arruma a posição do pé… mas transformar esses alertas em uma espécie de consciência corporal não é tão simples para muitas pessoas.
Isso porque não estudaram quais os grupos musculares usados pelo cavaleiro/amazona na equitação, porque alguns destes músculos, como por exemplo, o adutor posterior da coxa, são pouco usados no dia-a-dia e etc
Poderíamos usar emprestada uma expressão “criar uma espécie de memória muscular do cavaleiro”.
E para isso, vejo nas aulas aqui no rancho algumas pessoas mais verdes superarem no aproveitamento aquelas que já se dizem mais experientes, essas vem com hábitos errados, posturas mais duras que resultam em entortar o cavalo que para não sentir dor tenta se ajeitar e compensar a má postura na sela de quem está sendo levado por ele.
Já vimos o caso de quem andava torto, “um ombro mais baixo que o outro ou uma perna mais dobrada que a outra), um era porque montava com celular na calça, (hoje proibimos isso nas aulas), outro porque a carteira fazia um grande volume no bolso de trás, outro porque dizia que o tendão a frente do joelho doía”.

Aqui vão algumas indicações interessantes para ajudá-lo (a) a criar bons hábitos de condução. Comente abaixo com os seus próprios!

1. Pegue as rédeas debaixo do seu polegar


É bom andar com uma mão macia, (digo sempre mãos de pianista) mas seu polegar precisa segurar as rédeas com segurança para que elas não escorreguem dos seus dedos. No início, você pode usar rédeas com marcadores de couro, como rédeas de hipismo. Ou passe uma fita na altura da rédea onde deve estar sua mão, com ajuda de um instrutor, para não ficar nem apoiado na boca, nem com a rédea bamba.
Concentre-se em segurar os marcadores no lugar, isso irá ensinar você a apertar as rédeas firmemente entre o polegar e o nó do dedo indicador.

2. Monte com uma rédea de condução

Rédeas e embocaduras não tem NADA a ver com contenção do cavalo. Okay? Rédeas são instrumentos de comunicação com o seu cavalo. Você pode comunicar-se GRITANDO, ou num tom claro e moderado. Se você agarra as rédeas e se percebe apertando a palma da mão com os dedos até que fiquem brancos; Atenção.
Nem deve usá-las para o seu equilíbrio, (quem se apoia na boca do cavalo faz isso), experimente essa mudança simples: leve suas rédeas, como você está dirigindo uma equipe de cavalos.
Isso suavizará imediatamente seus pulsos e antebraço, tornando impossível engolir as rédeas. Gradualmente, seus músculos terão o hábito de andar com um contato suave e elástico e seu cavalo irá agradecer! (faça apenas contato com a embocadura ou com Bitless no chanfro se for esse seu caso). Equitar Bitless (sem ferro) e fazer uma baita força no nariz dele não traz qualquer bem estar a ninguém.

3. Segure um rolo de jornal sob seus braços

Manter os braços perto do seu corpo ajuda a manter seus cotovelos e pulsos macios, para que suas mãos sigam suavemente o movimento da cabeça do cavalo. Pare e se observe em fotos ou vídeos se não tem o mau hábito de abrir os cotovelos para fora…
Se o seu cavalo não gosta de aceitar o contato na embocadura, verifique seus cotovelos. Se eles estão saindo como asas de uma galinha, ou se eles estão trancados e seu cavalo não pode relaxar no bocado.
Coloque os jornais enrolados sob seus braços e concentre-se em segurá-los no lugar. Isso irá ajudá-lo a ter o hábito de manter seus cotovelos próximos ao seu corpo, porém não GRUDADOS ou tensos demais.

4. Nada de inclinar o tórax para frente nem para o lado

Creio que por instinto de defesa as pessoas tendem a dobrar o tórax para frente, como se estivesse em guarda em uma luta de box, ao dobrar para frente você tranca seu diafragma e passa a respirar mal, o que lhe trará dores musculares ardidas, porque sem respirar aumenta o ácido lático nos músculos.
Mas o pior não é isso, isso só prejudicaria você. Quando se dobra para frente, você altera o centro de gravidade do conjunto e o cavalo para não cair para frente desequilibrado, faz muito mais força para se colocar e colocar você no lugar certo. Ainda assim tem gente que briga com o boca do cavalo como se ele estivesse rebelde.

5. Apóie-se com apenas um estribo

Se a sua sela escorrega sempre para um lado, após algum tempo montado, provavelmente você está andando com mais peso nesse estribo. A maioria das pessoas tem uma perna mais forte do que a outra.
Quando o cavaleiro/amazona apoia o pé no estribo, sempre empurra mais a perna mais forte do que a outra. Depois de cerca de 15 minutos, notará que minha sela se inclina para o lado com mais peso. Se você perceber isso, experimente:
– Durante o aquecimento, solte o estribo na sua perna forte e coloque no trote usando apenas sua perna fraca. É bastante desafidor no início – O estribo sob sua perna mais fraca sentirá como se estivesse se movendo por todo o lado. Mas depois de algumas sessões, sua perna ficará mais forte. Em breve, você será mais equilibrado em ambos os estribos e sua sela irá deslocar-se menos.

6. Coloque uma toalha debaixo da bochecha

Se você costuma inclinar-se ou entortar seu corpo para um lado, com um ombro mais baixo que o outro, aqui está um truque para ajudá-lo a nivelar o trapézio.
– Dobre uma toalha de rosto em um pequeno quadrado e coloque-o debaixo da bochecha no lado que você se inclina. Isso irá ensinar-lhe o que uma pelve nivelada sente, e também levará seu peso de volta para o centro da sela.

7. Imagine que você gosta de dançar um samba ou forró

Se você entra na marcha batida ou no trote, seu corpor ficar igual a um boneco de Olinda em cima do cavalo, saltando para todos os lados, ou ficar como milho de pipoca, em um trote sentado, isso é porque você está segurando a tensão em seus quadris.
Curiosamente, a única maneira de se sentar ainda em seu cavalo é mudar, de atitude na vida, e de postura na sela.
Sempre repito que a melhor comparação da equitação é com a dança. Tem de ter molejo…
Seus quadris devem balançar-se com o movimento acima do trote, e para baixo com batidas baixas. Concentre-se em seguir o movimento do cavalo e empurrar sua pelve para a parte mais profunda da sua sela. Confie em mim – você irá se divertir mais e montar melhor e seu cavalo vai agradecer o seu empenho para com ele. E irá retribuir.


Twitter updates

No public Twitter messages.

Sponsors

  • Mangalarga Marchador
  • Revista Horse
  • Selaria Dias
  • Equipe Fusion